terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Qual a diferença prática entre o gesso e a bota ortopédica?


A posição mantida pelo gesso é a de repouso ou de redução, no caso das fraturas, para que o osso fraturado não se mova.
Este cuidado é essencial para o tratamento, garantindo a recuperação dos ossos em posição correta. 


O gesso é feito de uma bandagem branca e não deve ficar em contato direto com a pele, para evitar irritações. Por isso, é colocada uma malha tubular de algodão, seguida de algodão ortopédico e só então o gesso é molhado e aplicado. No início, o gesso fica pesado mas, à medida que vai secando, torna-se um pouco mais leve. Para secar totalmente, o gesso leva, em geral, dependendo da estação do ano, de 2 a 3 dias. 

Nesse período, o cuidado com ele deve ser redobrado, para evitar rachaduras e quebras.Apesar de muito eficiente, o uso do gesso por um período prolongado pode acarretar a perda muscular, a pele fica ressecada, podem aparecer alergias pelo fato de que o gesso é um material rígido e que não permite a circulação de ar, podendo ser muito incômodo para o paciente. Para minimizar os desconfortos, alguns médicos/fisioterapeutas optam pela utilização de uma bota ortopédica após determinado período para dar a continuidade do tratamento.

A bota ortopédica é um dispositivo ortopédico que imobiliza algumas os pés, tornozelos e panturrilha, durante o tratamento de alguma lesão, luxação ou após a retirada do gesso.

Em meio à correria do dia a dia podem ocorrer pequenos acidentes, resultando em um pé torcido ou em um mau jeito no tornozelo. A bota ortopédica é um dispositivo ortopédico que imobiliza os pés, tornozelos e panturrilha, sendo indicada para manter os membros seguros durante o tratamento de alguma lesão, luxação ou após a retirada do gesso.

Ao contrario do gesso, a bota ortopédica permite a remoção para higienização do local machucado e para a realização de avaliação médica. Ela também é mais confortável que o gesso, facilitando o deslocamento do paciente e até dispensando o uso de muletas.



A bota ortopédica substitui o gesso?

No tratamento de lesões, fraturas e outros problemas ortopédicos, a bota pode ser uma eficiente substituta para o gesso. O problema de fazer esta substituição é que o gesso só é retirado pelo enfermeiro ou médico ao final do tratamento, enquanto a bota pode ser tirada diversas vezes pelo paciente, o que pode atrapalhar o tratamento e fazer com que ele demore mais. Portanto, saiba o momento certo de usar a bota e/ou o gesso, sempre respeitando a recomendação de seu médico.