sexta-feira, 9 de agosto de 2019

Poltrona do Papai com Massageador





Poltrona do Papai Reclinável MAX com Massageador


A poltrona do papai reclinável MAX com Massageador é um dos nossos modelos mais imponentes. Ela é ultra confortável e trará muito mais qualidade de vida para as suas atividades cotidianas, principalmente nos momentos de assistir televisão, tirar pequenas sonecas ou ler um bom livro, além da massagem vibracional em todos os pontos que ajudam no relaxamento e ativam a circulação sanguínea.


Versão: Manual com recline suave
Com Massageador por controle remoto(Bivolt)
Material: Aço carbono + pintura epóxi. 
Suporte: 120KG


Funcionamento: Após puxar a manopla lateral, o apoio dos pés subirá automaticamente. Para reclinar o encosto, basta erguer os braços até que fiquem paralelos a cabeça ou se empurrar para trás. Para retornar, jogue o tronco para frente e empurre o apoio dos pés com as pernas, até travar.

Revestimento
Tipo: Couro sintético classe A.
Cor: Marrom ou preto
Limpeza: Pano umedecido com água e, se necessário, sabão neutro. Nunca utilize hidratantes, álcool, lustra móveis e etc. 
Cuidados: Não deixar exposto ao Sol ou luzes fortes. 

Assento
Estrutura: Madeira multilaminada e eucalipto de reflorestamento.
Tecnologia: Softspring - Sistema de molas que ajustam o conforto conforme o peso do usuário. 
Sustentação: Molas zig-zag em aço, as mesmas de bancos de automóveis e molas pocket com 8cm de altura (arame 2mm).
Camada de Conforto: Espuma D28 + fibra siliconizada 100% virgem, origem Tailândia. 

Encosto
Estrutura: Madeira multilaminada e eucalipto de reflorestamento.
Sustentação: Persinta elástica 8cm (Italiana). 
Camada de Conforto: Fibra siliconizada 100% virgem, origem Tailândia. 

Braços
Estrutura: Madeira multilaminada e eucalipto de reflorestamento.
Camada de Conforto: Fibra siliconizada 100% virgem, origem Tailândia.

Dimensões
Altura: 100cm
Largura: 94,5cm
Profundidade: 93 cm
Altura até o assento: 49cm
Largura útil do assento: 57 cm
Profundidade do assento: 64cm
Altura até o braço: 52cm
Profundidade quando aberta: 161,5cm 

Controle Remoto: 

2 motores nas costas 
2 motores na lombar 
2 motores nas pernas
2 motores nas panturrilhas

Peso Líquido: 38KG.
Peso Bruto: 41KG.

Acesse nossa loja online e receba sua poltrona no conforto de sua casa: www.orthohouse.com.br 

Como Reconhecer os Sintomas de Artrite?



A artrite é uma doença muito comum em todo o planeta, principalmente entre pessoas acima dos 50 anos. Essa doença se apresenta em diferentes intensidades de dor, inflamação, disfunções e deformidades em qualquer articulação do corpo, embora as mãos, os quadris, os joelhos e a coluna sejam os locais afetados com mais frequência. Há mais de 100 formas de artrite, sendo os tipos mais comuns a osteoartrite, a artrite reumatoide e a artrite psoriásica. É importante reconhecer os sintomas para obter um tratamento adequado e diminuir as chances de ter as funções comprometidas de modo permanente.


Identificando os primeiros sintomas

1.Observe qualquer dor nas articulações. A dor nas articulações é o sintoma mais característico em todos os tipos de artrite. É possível sentir dor depois de se exercitar ou depois de usar demais as articulações, que é o caso da osteoartrite, ou após acordar e após períodos sem uso, sintoma mais característico da artrite reumatoide.
A dor artrítica é frequentemente descrita como constante, dolorosa e latejante. O tipo de artrite mais destrutivo também pode causar uma dor aguda, com ondas de choque.
Ela geralmente começa leve e vai piorando aos poucos. Os níveis de dor da osteoartrite pioram gradualmente, enquanto a artrite do tipo inflamatório (como os ataques de gota) fica muito dolorosa de repente.


2. Procure articulações inchadas ou avermelhadas. Embora o termo artrite signifique literalmente inflamação nas articulações, alguns tipos apresentam muito mais inchaço do que outros. No geral, o desgaste da osteoartrite não ocasiona muito inchaço e vermelhidão. Já a artrite reumatoide apresenta muito inchaço e vermelhidão, pois o sistema imunológico ataca o revestimento da cápsula da articulação (membrana sinovial). A gota também é conhecida por causar muita inflamação devido ao depósito de cristais de ácido úrico dentro da cápsula da articulação, especialmente do dedão do pé.
Na artrite psoriásica, o sistema imunológico também ataca as articulações e é por isso que ela é classificada como uma doença autoimune. Sendo assim, o inchaço e a vermelhidão são mais evidentes.
A artrite reumatoide, além de causar inflamação grave na articulação afetada (geralmente das mãos e pulsos), também gera uma inflamação menor em todo organismo.
Não conseguir tirar os anéis é um sinal de inchaço nas articulações das mãos.


3. Fique atento à rigidez nas articulações. A rigidez é outro sinal precoce de praticamente todos os tipos de artrite. A rigidez é a incapacidade de mover livremente as articulações devido a dores, inchaço ou algum grau de desgaste. Além da rigidez, você ainda pode sentir ou ouvir estalos conforme mexe a articulação depois de um tempo de inatividade, principalmente no caso da osteoartrite.
No início, a rigidez nem sempre diminui a extensão dos movimentos, mas ela é um sinal de que há um problema na articulação que, provavelmente, vai piorar.
A rigidez e outros sintomas costumam ocorrer em apenas um dos lados do corpo no caso da osteoartrite e da gota, enquanto as formas autoimunes da doença, como a artrite reumatoide e a artrite psoriásica, costumam afetar os dois lados.
A rigidez é pior na parte da manhã na artrite reumatoide e na psoriásica, mas é pior no final do dia na osteoartrite.


4. Fique atento à fadiga incomum. A fadiga (cansaço extremo) pode ser outro sinal primário de algum tipo de artrite, mas não de todos. As do tipo autoimune (artrite reumatoide e artrite psoriásica) costumam causar inflamações e outros problemas no organismo e não apenas em uma única articulação. Sendo assim, o corpo fica cansado e esgotado por tentar combater toda a inflamação. A fadiga crônica pode afetar as emoções, o humor, a libido, a atenção, a criatividade e a produtividade de maneira negativa.
A fadiga causada pela artrite reumatoide e psoriásica também pode estar associada à perda do apetite e emagrecimento.
Outros tipos, como a osteoartrite, podem desencadear a fadiga crônica se a dor na articulação for tão grande a ponto de afetar muito os hábitos de sono e de alimentação.


Importante: Fique atento à perda dos movimentos. É possível de uma hora para outra começar a perder a capacidade de se mover normalmente com a progressão da dor, inflamação, rigidez ou danos nas articulações. Desse modo, a limitação dos movimentos é um sinal comum de que a doença está avançada e é uma das principais causas de perda das funções.Você pode não conseguir se abaixar tanto ou ser tão flexível como era antes.
A redução da extensão dos movimentos é lenta e gradual na osteoartrite, conforme a cartilagem sofre o desgaste e os ossos acabam entrando em contato um com o outro, formando bicos de papagaio ou osteófitos.
Na artrite reumatoide e na psoriásica, a extensão dos movimentos depende muito do nível de inchaço das articulações que aumenta e diminui. Entretanto, com o tempo, ambas destroem a cartilagem e limitam drasticamente os movimentos.
A artrite séptica é causada por uma infecção nas articulações e se caracteriza por uma dor forte e repentina e pela dificuldade de usar a articulação afetada. Esse tipo de infecção pode destruir a articulação rapidamente – dentro de semanas.

Perceba a fraqueza repentina. Em associação à dor progressiva e à redução da mobilidade da articulação, há o enfraquecimento. A fraqueza pode ocorrer devido a tentativas de evitar a dor ou por conta de danos à integridade da articulação. Além disso, a falta de exercícios (comum em pessoas que sofrem de artrite) ocasiona a perda do tecido muscular, o que acarreta a perda da força. Você pode notar que não consegue erguer tanto peso ou caminhar tanto quanto costumava fazer. A capacidade de segurar objetos e de apertar a mão pode não ser mais tão firme.
A atrofia muscular (diminuição e perda da força) é normal nos músculos em volta da articulação afetada.
A articulação e os músculos enfraquecidos costumam ficar instáveis, trêmulos ou um pouco contraídos quando precisam suportar uma carga maior.
A perda de agilidade, destreza e coordenação estão associadas à fraqueza progressiva. Se você sofrer de artrite nas mãos, é possível se sentir desajeitado e derrubar objetos com frequência.

Procure deformidades nas articulações. Todas as formas de artrite deixam as articulações deformadas ou desfiguradas em algum momento. No entanto, o problema pode se desenvolver de modo mais rápido e perceptível em determinados tipos. A artrite reumatoide é conhecida por causar deformações graves nas mãos e nos pés, porque a inflamação ocasiona a erosão na cartilagem e nos ossos, assim como frouxidão nos ligamentos. Em longo prazo, a artrite reumatoide é mais destrutiva do que todas as outras formas e é a que causa mais imobilidade nos pacientes.
A osteoartrite também gera deformidade das juntas (geralmente descrita como nodosa), mas não as deixa tão tortas como as deformidades características da artrite reumatoide.
Ao notar algum nódulo (caroços grandes e sensíveis) próximo a articulações, trata-se provavelmente de um sinal de artrite reumatoide. Esses nódulos aparecem em 20% a 30% dos casos, geralmente nas mãos, pés, cotovelos e joelhos.

Observe mudanças na pele. Outro sinal da doença em fase avançada é a mudança na pele. Além de possíveis nódulos, a artrite reumatoide e a psoriásica muitas vezes causam alterações na cor e na textura da pele próximas à articulação dolorida e em diversos lugares do corpo. A artrite reumatoide tende a fazer a pele ficar mais avermelhada, principalmente devido ao inchaço de pequenos vasos sanguíneos embaixo da pele (conhecido como vasculite).
Já a artrite psoriásica envolve psoríase na pele, caracterizada pela formação de placas avermelhadas com prurido e escamas grossas e esbranquiçadas.
As crises de gota geralmente são associadas à formação de cascas na pele próximas à articulação afetada.
Todos os tipos de artrite que envolvem inchaço e inflamação aumentam a temperatura sob a pele e podem dar a ela a aparência e a textura de couro.


Diferenciando os principais tipos de artrite

1.Saiba o que é a osteoartrite. A osteoartrite é o tipo de artrite mais comum e é causado por um desgaste gradual das articulações por excesso de uso, obesidade ou lesões. A osteoartrite não apresenta muita inflamação e pode ser controlada por meio da perda de peso corporal, da incorporação de atividades/exercícios que sejam mais leves para as articulações e da alteração da alimentação (menos açúcar e conservantes, mais água e produtos frescos).
A osteoartrite costuma afetar as articulações que sustentam peso, como os joelhos, quadris e a coluna, embora ela também seja comum nas mãos.
Ela é diagnosticada em um exame físico e por meio de um raio-X. O desgaste da cartilagem e o desenvolvimento de pequenos bicos de papagaio são sinais da osteoartrite que aparecem na radiografia.


2. Aprenda o que é artrite reumatoide. A artrite reumatoide não é tão comum como a osteoartrite, mas parece estar mais prevalente em comparação a décadas passadas. O que a causa ainda é um mistério, mas acredita-se que o sistema imunológico se confunde e ataca os tecidos das articulações e outras partes do corpo por engano – o que também é descrito como uma atividade excessiva do sistema imunológico. A artrite reumatoide é caracterizada por muita inflamação e dor que pode ir e vir (as chamadas crises).
A artrite reumatoide costuma afetar os dois lados do corpo – a mesma articulação nos dois lados do corpo ao mesmo tempo.
Ela tem um fator genético, portanto as chances aumentam ao ter parentes próximos com a doença.
As mulheres são muito mais propensas a desenvolvê-la em comparação aos homens.
Diferentemente da osteoartrite, crianças podem ser afetadas pela artrite reumatoide, o que é conhecido como artrite idiopática juvenil.
A artrite reumatoide é diagnosticada por meio de exames físicos, raio-X e exame de sangue. A inflamação e a deformação são características que aparecem no raio-X. Entre 70% a 80% das pessoas que têm a doença possuem um marcador clínico chamado fator reumatoide no exame de sangue.
O tratamento se dá por meio de anti-inflamatórios não esteroides, assim como medicamentos modificadores do curso da doença (DMARDs) e terapia imunobiológica ou modificadores de resposta biológica (BRM).


3. Não confunda a gota com a osteoartrite ou artrite reumatoide. A gota é causada por níveis altos de ácido úrico no sangue por conta de uma dieta rica em purina. O nível alto de ácido úrico no sangue forma cristais afiados que se depositam em volta das articulações. Esses cristais rapidamente geram muita inflamação e uma dor forte, na maioria das vezes no dedão do pé, mas também em outras articulações dos pés, mãos e membros. As crises de gota não costumam durar muito (apenas alguns dias), mas podem voltar de modo regular.
Os cristais de ácido úrico podem formar caroços com crostas ou nódulos de cristais em volta das juntas que podem imitar a artrite reumatoide.
Alguns alimentos ricos em purina são vísceras (fígado, rins), bacon, crustáceos, sardinha, anchovas, frango e caldo de carne. O excesso de cerveja e vinho tinto também pode desencadear crises de gota.
A gota é diagnosticada com exames físicos, analise do histórico alimentar, raio-X e exame de sangue. Pessoas com gota têm níveis altos de ácido úrico no sangue (hiperuricemia).
O tratamento envolve o uso de anti-inflamatórios não esteroides ou corticoides em curto prazo e também de colchicina. A prevenção em longo prazo é baseada na mudança da dieta.


Dicas

De vez em quando, as articulações inflamadas ficam quentes por conta do acúmulo de fluidos.
É possível sofrer de mais de um tipo de artrite ao mesmo tempo.
Foi comprovado que o controle do peso diminui o risco de desenvolver gota e osteoartrite.
Proteger as articulações de lesões ou do uso repetitivo pode diminuir o risco de osteoartrite.

Ao desconfiar de artrite, procure um médico o quanto antes. O diagnóstico precoce e o uso de medicamentos modificadores do curso da doença podem controlar o desenvolvimento de algumas formas de artrite (como a reumatoide).